em Propriedades Compartilhadas

Ter uma segunda casa ou apartamento destinado especificamente para passar férias costuma estar entre os sonhos de muitas famílias. Afinal, nada melhor do que saber que há uma acomodação disponível em um lugar maravilhoso para ficar totalmente sossegado. Não é por acaso que cada vez mais pessoas optam por ter o seu próprio imóvel de veraneio.

Se essa aspiração faz parte dos seus planos, este post é estratégico para você. Compilamos todos os prós e contras de adquirir um espaço exclusivo para usufruir nos dias de folga. Também vamos apresentar uma alternativa financeiramente mais viável que vai te mostrar como comprar um imóvel de férias e, ainda assim, aproveitar outras 5 mil acomodações em várias cidades do Brasil e do exterior.

Porque as pessoas compram um imóvel de férias

Existem três principais motivos que fazem com que as pessoas optem por adquirir um imóvel de férias:

1) Criar mais oportunidades em família

Quem gosta de estar em família muito provavelmente concorda que nada é mais valioso do que viver momentos especiais perto das pessoas queridas. Uma casa ou apartamento de férias é perfeito para colecionar oportunidades de total qualidade e diversão em um lugar que será considerado como um refúgio da família.  

2) Possibilidade de renda extra

Há também quem prefira usufruir apenas de vez em quando do local, priorizando que o imóvel seja alugado para terceiros. Usar essa estratégia costuma render um bom dinheiro extra, que pode ser usado inclusive para quitar as parcelas do imóvel.

3) É uma forma de diversificar investimentos

Imóveis com boa estrutura e localizados em áreas que atraem turistas tendem a ser uma ótima opção de investimento, pois permanecem valorizados mesmo com o passar dos anos. As pessoas que se preocupam em diversificar seus ativos veem nos imóveis de férias a oportunidade perfeita para investir.

Pontos negativos de comprar um imóvel de férias

Quando o assunto envolve como comprar um imóvel de férias e economizar, não dá para ignorar alguns pontos negativos, caso você seja o único proprietário do local. Eles dizem respeito principalmente em relação aos custos fixos e outras despesas que acabam surgindo sem necessário aviso prévio. Listamos os principais itens costumeiramente citados por quem já teve a experiência de ser 100% dono de um imóvel de férias.

  •  Mesmo que a natureza de uma casa de férias signifique que você só vai estar lá algumas vezes por ano, é preciso arcar com tudo como se estivesse morando no local permanentemente.
  •  Luz, água, internet e condomínio (no caso de um apartamento) precisam fazer parte das despesas fixas da família ao longo do ano todo.
  • Se ficar muito tempo sem visitar o imóvel e não ter alguém responsável que vá cuidar do local de vez em quando, pode acabar se surpreendendo com danos na estrutura.
  • Depois de passar várias férias no mesmo lugar, é normal ficar entediado e sentir necessidade de ir para lá por obrigação, em vez de ter um desejo genuíno de passar um tempo na casa de férias.

 

Alternativa para solucionar os pontos negativos e economizar

Se você ficou empolgado com os benefícios de ter uma casa de férias, mas desanimou quando leu os pontos negativos, temos boas notícias: é possível usufruir de todas as vantagens citadas anteriormente e eliminar cada uma das desvantagens aproveitando um segmento do mercado imobiliário que está ficando cada vez mais conhecido no Brasil: as propriedades compartilhadas.

Funciona da seguinte forma: em vez de você pagar integralmente por um imóvel localizado em um lugar propício para tirar férias, tendo que desembolsar algo que passa de um milhão de reais, é possível adquirir somente uma fração de um imóvel de férias. Muitas dessas frações estão localizadas em hotéis, resorts e casas de luxo espalhadas pelo Brasil. A fração adquirida dá direito a se hospedar no local durante uma quantidade de dias por ano previamente determinada.

No fim das contas, você compra um imóvel por um preço muito menor do que seria necessário para adquiri-lo integralmente e o valor investido dá direito a ter parte da propriedade e usar o local toda vez que a sua família programar as férias.

Quem pesquisou sobre como comprar um imóvel de férias e optou por uma propriedade compartilhada vive as seguintes situações:

  • tem um destino de férias garantido todos os anos, mas também pode optar por fazer intercâmbio com outras propriedades compartilhadas em todo o mundo. O Vacation Club RCI, por exemplo, concentra mais de 5 mil acomodações parceiras e é a maior rede de intercâmbio de férias do mundo;
  • consegue ficar em resorts e hotéis de alto padrão economizando até 80% em hospedagem;
  • conta com a ajuda de uma empresa administradora que gere todas as questões burocráticas sobre o rodízio de semanas dos proprietários e a necessidade de manutenção dos imóveis;
  • pode optar por não usar o período no ano do qual tem direito e ganhar dinheiro com isso. É só deixar a cargo da administradora para que ela aluguel a pessoas interessadas na hospedagem;
  • paga só uma fração das despesas fixas e despesas de manutenção do imóvel, pois tudo é devidamente dividido com os demais proprietários;
  • pode vender a fração do imóvel, pois ela tem escritura e é de propriedade individual.

Percebeu o quanto uma propriedade compartilhada pode ser a solução sobre como comprar um imóvel de férias e economizar? Se você ainda tem dúvidas se essa alternativa é boa para você, uma ótima dica é ler com atenção o artigo que traz todos os perfis para quem um imóvel compartilhado de férias é indicado.

Aproveite o espaço dos comentários para compartilhar os seus sonhos sobre um lugar para passar férias e se as propriedades compartilhadas vão ao encontro do que você precisa.

Postagens Recomendadas
0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

compartilhamento de bens