fbpx
 em Propriedades Compartilhadas

Considerar um fundo de investimento imobiliário como renda pode ser uma saída sustentável.

Pois, obter renda a partir de um patrimônio, é pensar no retorno do investimento à longo prazo.

Seja no Brasil ou fora, o fundo de investimento imobiliário ou “FIIs”, é uma das formas de participar de investimentos sólidos. Porém, existem algumas ressalvas.

A seguir responderemos algumas das perguntas mais importantes sobre o tema:

  1. O que são fundos de investimento imobiliários?
  2. Como funciona o fundo de investimento imobiliário?
  3. O que são dividendos?
  4. Quais são os custos de um fundo de investimento imobiliário?
  5. Porque escolher investir em Propriedades Compartilhadas?
 

O que são fundos de investimento imobiliários?

São recursos destinados à aplicação em negócios imobiliários e divididos em cotas.

O imóvel pode já estar pronto ou ainda estar em fase de construção.

No fundo imobiliário é adquirido os direitos reais sobre os bens imóveis, mas também há como adquirir títulos e valores imobiliários como letras de crédito imobiliário (LCI) e outros.

O fundo de investimento imobiliário foi criado pela Lei n.º 8.668/93 e é regulamentado pela Instrução CVM n.º 472/08.

A oferta de cotas é realizada após o prévio registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), para oferta pública.

 

Como funciona o fundo de investimento imobiliário?

O fundo de investimento imobiliário é adquirido através de instituições financeiras autorizadas pela CVM e estas, são responsáveis pelo (a):

  • Funcionamento e manutenção do fundo
  • Gestão e atividade administrativa
  • Representatividade em obrigações legais e regulamentares
  • Escolha de bens e direitos do patrimônio que ao adquirir compõe o patrimônio
  • Gestão dos ativos
  • Relatórios periódicos aos acionistas
  • Distribuição de resultados
  • Reuniões

Mas existem outras funções não listadas aqui, porém estas resumem as atribuições das administradoras de cotas do fundo de investimento imobiliário.

Mas cabe salientar que investir em imóveis pode ser feito através:

  • Da compra de títulos para a revenda após sua valorização;
  • Captação de aluguel;
  • Aplicando em cotas do fundo de investimento imobiliário.

Portanto, ao investir em um fundo de investimento imobiliário, sendo ele um patrimônio dividido em cotas, o investidor torna-se cotista.

O Cotista é o titular da cota, tendo seu nome em registro eletrônico como “dono” da cota na proporção investida.

Mesmo as cotas sendo nominativas e escriturais, com todos os direitos e deveres, um cotista não tem direito real sobre imóveis do fundo de investimento.

Isso se deve pela natureza do investimento dividida em partes e distribuída a diversos investidores.

Mas, de certo modo, os cotistas não respondem por qualquer obrigação legal ou contratual de forma pessoal, mas sim a administradora do fundo.

Assim, existe a opção da Multipropriedade como um tipo de fundo de investimento imobiliário interessante. Veja mais no artigo do link a seguir:

Saiba mais – Multipropriedade: vale mesmo a pena?

O que são dividendos?

O fundo de investimento imobiliário pode gerar renda através do aluguel de seus imóveis.

A maioria dos fundos de investimentos imobiliários possuem renda mensal e por ordem da lei, estes devem distribuir pelo menos 95% do lucro entre os cotistas.

Isso ocorre a no mínimo 6 meses e é proporcional a quantidade de cotas que cada participante possui.

Assim, o retorno em dividendos ocorre de forma variada de acordo com o lucro por período e proporcional à participação.

Mas, se ainda a cota estiver prestigiada no mercado, seja pela valorização do fundo ou do empreendimento, esta pode render ainda mais.

 

Quais são os custos de um fundo de investimento imobiliário?

A administração por instituições financeiras demandam algumas taxas pertinentes a sua atividade e tributos relacionados.

A seguir há uma lista dos principais custos cobrados sobre o fundo de investimento imobiliário:

  • Imposto de Renda
  • Corretagem
  • Custódia e Emolumentos
  • Taxas
 

Imposto de Renda

Os rendimentos recebidos podem ser isentos do Imposto de Renda para as pessoas físicas em certas condições:

  • O cotista tem menos de 10% das cotas do fundo;
  • O fundo de investimento imobiliário têm pelo menos 50 cotistas;
  • As cotas devem ser negociadas exclusivamente através de bolsa de valores ou mercado de balcão organizado.

Assim, rendimentos diretos são isentos caso atenda às condições.

Mas caso haja ganhos com a venda de cotas ou resgate de liquidação do fundo, haverá o desconto de 20% de imposto de renda.

Assim, nossa dica de ouro é: consulte um dos nossos especialistas, pois terá as informações de que precisa. E não terá dúvidas de que as propriedades compartilhadas é a melhor escolha.

 

Corretagem

A corretagem é a taxa das atividades da instituição financeira intermediando interesses de compra e venda de ativos entre você e a bolsa de valores.

Esta taxa varia de acordo com as instituições e deve ser consultada antes da compra do fundo de investimento imobiliário.

Porém, lembrando que ao adquirir uma cota em oferta pública, não há cobrança de taxa de corretagem.

 

Custódia e Emolumentos

Guardar bens em ações, demanda em depositar em uma central depositária. Além de guardar, a central depositária controla a lista de investidores e informações periódicas ao investidor.

No Brasil, a Central de Custódia é a B3, seus serviços envolvem o mercado brasileiro de ações, onde recebe do escriturador os créditos e repassa aos investidores.

Existe uma taxa de serviços de custódia e ainda de emolumentos cobrados pela B3, mesmo que os prestem de forma indireta.

Mas se quiser saber um pouco mais, veja os links: Instrução CVM n.º 541/13 e a Instrução CVM n.º 542/13, sobre os serviços de depósito e custódia de valores imobiliários.

 

Taxas

Existem dois tipos: taxas de administração e de performance sobre o fundo de investimento imobiliário.

De forma resumida, a taxa de administração é sobre o valor total investido e varia de acordo com o tipo de investimento.

Ela varia em porcentagem (%) por ano e pode ser descontada de forma proporcional por semestre ou no resgate de valores.

Já a taxa de performance é relativa ao bom desempenho da administração quanto ao índice de referência do fundo de investimento imobiliário.

Logo, o rendimento que exceder ao índice de referência será taxado em 20% (aqui no Brasil) como taxa de performance.

Mas para saber mais sobre as FIIs ou Fundos de Investimentos Imobiliários, indicamos consultar o Guia disponibilizado pela Comissão de Valores Mobiliários.

E ainda, seguir e consultar nossa página de YouTube e Instagram com dicas e muito conteúdo!

Saiba mais – Página do YouTube: Propriedades Compartilhadas

 

Porque escolher investir em Propriedades Compartilhadas? 

As propriedades compartilhadas são frações que podem ser adquiridas por diversas pessoas e é sim um tipo de investimento imobiliário.

Estas propriedades são imóveis que, de acordo com a Lei n.º 13 777 de 20 de dezembro de 2018, instituiu o direito e dever sobre o imóvel compartilhado.

Além disso, na propriedade compartilhada inclui como parte do patrimônio imobiliário: as instalações, os equipamentos e o mobiliário, destinados a seu uso e gozo.

Com um custo mensal acessível, o acesso a casas e a hospedagens de luxo, é seu principal diferencial.

O uso e o aluguel desta propriedade é vantajosa em relação aos custos anuais planejados para férias em família ou ainda, serve para uso em negócios e investimentos.

Ainda existe uma série de vantagens sobre as propriedades compartilhadas e indicamos dar uma olhada no vídeo:

Saiba mais – Veja as TOP 5 Empresas mais confiáveis de Propriedade Compartilhada / Multipropriedade do Brasil

Logo, vale muito a pena investir em propriedades compartilhadas!

Assim, esperamos ter lhe ajudado com um resumo sobre os fundos de investimentos imobiliários! E a ainda mais entender as vantagens das propriedades compartilhadas!

Até a próxima!

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

multipropriedadeRCI