fbpx
 em Propriedades Compartilhadas

É bem provável que você já tenha ouvido falar no termo economia compartilhada e, mais provável ainda, que já tenha usufruído de algum serviço que tem a economia compartilhada como essência. Afinal, as possibilidades envolvendo essa tendência, que também é conhecida como consumo colaborativo, vêm ganhando força desde 2008, quando houve a recessão econômica.

Basicamente, a economia compartilhada permite diferentes formas de troca de valor e envolve uma série de modalidades, entre as mais comuns estão: consumo colaborativo, compra coletiva e propriedades compartilhadas. Se você parar para pensar um pouquinho, possivelmente vai encontrar exemplos de pessoas próximas que têm priorizado viver experiências e enxergam no compartilhamento uma ótima opção.

Preparamos este post com diversas informações estratégicas que vão te fazer descobrir novas possibilidades e aproveitar ao máximo esta tendência tão encantadora.

 

Por que as pessoas têm aderido à economia compartilhada

Aqui estão alguns dos principais benefícios e que são o motivo para que cada vez mais pessoas prefiram produtos e serviços ligados à ideia do compartilhamento.

 

É uma escolha considerada inteligente

A economia compartilhada é vista como um atributo positivo e, consequentemente, as pessoas que compartilham são celebradas, incentivadas e seguidas. Um estilo de vida compartilhável tem sido defendido e preferido. Está ficando no passado a ideia de acumular cada vez mais posses sem estabelecer um plano lógico que permita usufruir de tudo isso.

 

Bens não ficam subutilizados

É o caso, por exemplo, de uma casa de praia, quando os proprietários costumam aproveitar o local somente algumas vezes no ano. No restante do tempo a casa fica fechada, gerando somente despesas e preocupações em relação à manutenção. Nesse caso, optar por uma propriedade compartilhada é encontrar uma maneira inteligente de ter a casa disponível em um determinado período do ano, sem ter que se preocupar com o que acontece no restante do tempo.

 

Tem tudo a ver com economia financeira

Eis mais um exemplo bem prático: usar o serviço de bicicletas compartilhadas tende a ser muito mais vantajoso do que ter a própria bicicleta, especialmente se você não faz uso diariamente. Não é preciso desembolsar um montante inicial e nem se preocupar com a manutenção. Essa mesma lógica se aplica a vários outros bens, como imóveis para passar as férias, automóveis, iates e aeronaves. Afinal, hoje em dia há opções de economia compartilhada envolvendo cada um desses itens.

 

Promove o estilo colaborativo e permite novas experiências

A ideia da economia compartilhada oportuniza experiências que são mais difíceis de viver quando é preciso adquirir tudo de forma individual. Felizmente, essa tendência de desfocar a linha entre “o que é meu e o que é do outro” vem proporcionando formas de atingir o estilo de vida desejado com mais facilidade e comodidade.

 

Exemplos de serviços envolvendo economia compartilhada

Existem muitos segmentos que já aplicam o método de economia compartilhada. Separamos alguns exemplos de sucesso e que já fazem parte do cotidiano de muitas pessoas.

Uber

São muitos os relatos de pessoas que deixaram o carro de lado depois que empresas como a Uber chegaram na sua cidade. Por meio de um aplicativo, os usuários que precisam de transporte conseguem facilmente encontrar motoristas que oferecem esse serviço. Isso traz conforto por não precisar se preocupar em dirigir, além de economia, pois não é preciso se preocupar com manutenção do carro, combustível, estacionamento, impostos, etc.

 

Airbnb

Esse é possivelmente o serviço online de hospedagem mais conhecido no mundo. Proprietários alugam um quarto do seu imóvel ou o imóvel inteiro para viajantes. Só no Brasil são mais de 167 mil anúncios de acomodações.

 

BikeRio

Este sistema é disponibilizado pela prefeitura do Rio de Janeiro e oferece compartilhamento de bicicletas em estações distribuídas em pontos estratégicos da cidade. Pagamento R$ 10 mensal ou R$ 5 pela diária, o usuário pode circular pelas ruas da capital o dia todo. A única exigência é a cada uma hora devolver a bicicleta em uma das estações e, então, esperar 15 minutos para poder retirar outra novamente.

 

Enjoei

O negócio do Enjoei é disponibilizar um site onde as pessoas cadastram produtos que não usam mais e os deixam expostos para venda. Funciona como uma loja online – cada usuário tem sua própria lojinha dentro da plataforma. Qualquer pessoa pode se cadastrar e disponibilizar os mais variados produtos – roupas, acessórios, livros, eletrônicos, etc.

 

ImpactHub

O ImpactHub é um coworking com espaços disponíveis em todo o mundo. Empreendedores que não tem condições de abrir um escritório sozinhos ou, então, preferem estar em um local com vários outros empreendedores, podem alugar o espaço a partir de R$ 350.

 

Propriedades Compartilhadas

Esse é um segmento do mercado imobiliário em que, basicamente, um imóvel possui mais de um proprietário. Cada um dos proprietários é dono de uma fração do imóvel. As pessoas que buscam imóveis de férias costumam aderir a essa alternativa. Afinal, geralmente as casas de praia, por exemplo, ficam subutilizadas em grande parte do ano. O que não acontece em uma propriedade compartilhada.

Em relação às questões financeiras, uma das vantagens mais significativas do segmento de propriedades compartilhadas é o fato de ter a possibilidade de adquirir uma propriedade de alto padrão (seja devido à localização ou à estrutura do imóvel), investindo muito menos dinheiro do que seria necessário para ser o único dono do imóvel.

Ficou encantado com todas essas informações sobre economia compartilhada? Aproveite para seguir nosso canal nas redes sociais (Facebook e Instagram), periodicamente compartilhamos materiais com alternativas incríveis.

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

propriedade compartilhadacompra compartilhada